café e dores

café e dores

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Sou tua pintura mais borrada

Teu cheiro tá em mim, estrangeiro. Consegue navegar no meu relevo se eu te pedir pra afundar em mim? Suas digitais borraram a minha pele de lilás, o meu corpo é o teu quadro, teu pincel. Você me olha de um jeito absurdo de quem me devora em pensamentos e não me importo em doar o prazer que tanto exalo. Meu suor carioca vai salgar a tua boca de saudade, não só de lágrimas vive um homem solitário

deixa que eu te faça cansar com a melodia do meu ritmo,
deixa o verão queimar a sua cama,
você aceita mais um beijo,
um cigarro?

Teu sabor me saciou durante dias, sei que por detrás dessa barba lisa você guarda segredos de outras mulheres mais saudáveis. Estrangeiro, nenhuma vai te escrever como eu te escrevo porque você entrou em mim naquela noite de estrelas tímidas tão fundo que só gozar dessa aventura sozinha seria total desespero. Deixe que eu te trace nessas linhas porque teu destino é mais incerto do que o meu caos particular, volte pro Rio quando a vontade de fazer arte em mim te sufocar

6 comentários:

  1. Passagens cheias de contornos, tons e, até mesmo, sabores.

    Toda uma arte de se perder. Quase um caosgrafia.

    Até,
    Gyz---.

    ResponderExcluir
  2. ''sei que por detrás dessa barba lisa você guarda segredos de outras mulheres mais saudáveis / volte pro Rio quando a vontade de fazer arte em mim te sufocar''

    coisa mais linda!

    ResponderExcluir
  3. Ficou lindo o texto Gyzelle.
    Cheio de malícias escondidas sob palavras bem colocadas.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom mergulhar nessa sua arte que é a escrita.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Obrigada!!!!! Que honra vocês por aqui...

    ResponderExcluir
  6. Além de exalar prazer, também exala uma grande sensibilidade através da escrita.
    Adorei o texto, Gyzelle, principalmente quando diz: "teu destino é mais incerto do que o meu caos particular". Identifiquei-me com esse caos particular...

    ResponderExcluir