café e dores

café e dores

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Gudang, uísque e amor

ah, mon petit
eu sinto muito pelo nosso fim
você tem o meu luto
sinto pela sua morte em meu casebre
no meu coração de puta
pegue o trem de ida
e não volte para a despedida
fiz esse verso
sem rima
não chore, mon petit
manchei de batom a avenida
pela sua morte
em homenagem ao meu samba azul
você tem o meu luto
mas esse corpo
ah, petit... não há lirismo
que o faça ser seu
sepulte os restos de sua orgia
da minha cama
porque nosso gerúndio
é mais escuro do que a minha roupa
eu estou de luto
você morreu tão tarde
numa tragada de gudang, uísque e amor
ah, mon petit, que morte vulgar
não volte para me pagar...

Um comentário: