café e dores

café e dores

segunda-feira, 6 de julho de 2015

sarau

eu não sei se notou
mas a cidade está mais cheia
e limpa
e doida varrida
não sei se notou que te olho
quando há uma distração em sua fala
momento que me nutro de harmonia e instabilidade
que a minha boca quer morar em seu corpo como se te adorasse

o Cristo fica colorido em dias específicos
e a Lua tem aparecido antes das cinco
quando você pega a sua bicicleta
e equilibra a própria vida entre o meu coração
e o espacinho do asfalto

porque há caos
mesmo sua fala sendo tão calma
mesmo possuindo mãos quentes:

eu sei que você teme
pois te noto e anoto em mim

Um comentário:

  1. Quem não teme tem culpa, e nesse caso todos somos culpados, de querer imaginar-se nesse pedacinho de asfalto, nesse caos que tua anota com carinho.
    Sempre bom e alegre, te ler.
    Abraço e boa semana.

    ResponderExcluir