café e dores

café e dores

terça-feira, 14 de julho de 2015

Tua

A poesia lambendo o lóbulo da orelha
A poesia entre os beiços
Molhando o teclado
A poesia suja
A poesia fluída
Poesia ticket + dose dupla de vodka
Poesia transviada
Eu juro
Se não pularmos antes de
atravessar o viaduto
Muita poesia no muro
Só poesia português padrão
Só poesia tua minha é nós na garganta pra caralho
Poesia pseudo culta pós-impressionante
Poesia fajuta trocada por uma grana curta
mas
ela é
grande
Estamos distantes
Distantes e
Eu vou falar da poesia intrusa
Em tudo aquilo que protesto
Poesia manifesto
Manifestada de forma bruta
Poesia é coração de puta vadiando no carnaval do Rio de 
Janeiro é mês de ferver o corpo nas ruas em horário de verão
Poesia sol na pele a tostar
Fio dental e removedor de vazios
A poesia encheu o vaso
O vácuo
Entre duas bocas
Poesia escorrendo pelo queixo
Pingando no chão da sala 
2 quartos 
1 cozinha 
varanda de frente pro puteiro 
Mais barato do bairro
Poesia gozando da sorte
Sentença de morte, Vida e outras artes


Poesia é você

4 comentários:

  1. Eu tenho enorme respeito por ti e tua poesia, me alegra tua existência, me faz feliz tua sensibilidade travessa, brincando de faz de conta como criança. Desejo muito, muito que os deuses sejam justos, como tu és, em teus versos, com todo o mundo.
    beijo em tuas mãos, minha alegria.

    ResponderExcluir
  2. Essa poesia me deixou em êxtase. Obrigada por não me deixar sozinha nessa de enxergar poesia em tudo quanto canto, por mais descabido que possa parecer.
    "Poesia é coração de puta vadiando no carnaval do Rio de
    Janeiro é mês de ferver o corpo nas ruas em horário de verão"
    Quanta esperteza com as palavras, moça. Que lindo. Obrigada por isso.

    ResponderExcluir
  3. É preciso te ler repetidamente, é preciso ter ciúmes de todos os olhos que leem a poesia em ti mesma, ainda que sem ver, sendo bom amante, para desejar que tu possas parir versos como esses,
    num parir constante de sempre e nunca nem jamais alguma vez ...

    ResponderExcluir