café e dores

café e dores

sábado, 29 de novembro de 2014

Quatro andares e uma música borrada de gingado

Vamos esquecer que amanhã é domingo, aumente o volume para dançarmos até o corpo ou a vergonha doer, levante essa saia porque eu sei que você quer as pernas livres ao embalo de uma bossa nova

isso me lembra que preciso de um (ana)lista
só escrever sobre suas mágoas
me faz solitário

Sei em ti um jeito agridoce que me exala o paladar, um misticismo infernal, uma crença no amor que me arrepia. Alguém vai magoar teu coração outra vez, pequena. Você não teme o inverno tendo um coração tão alugável? O golpe que levo de suas retinas cristalinas me impedem de fugir para longe do quarto andar de Botafogo, a raiz de suas pernas é um lago movediço o qual me arrisco, me afundando, submergindo em seus dons obscuros de me sorrir zombando. Temo por demais a sua febre em meu pescoço, seus suspiros na hora de voltar pra casa às onze.

onde foi que eu perdi os meus instintos sacanas de não me apegar àquelas moças de saia curta? talvez debaixo dessa alma que leiloa meu coração com um gingado ao som de um solo de Cícero

desculpa

3 comentários:

  1. Essa escrita tão tua, faz a gente não querer parar de ler!!

    Bjoo'o

    ResponderExcluir
  2. Sabe aquele sorriso sacana que se forma no canto da boca?
    Surgiu um enquanto eu lia :}

    ResponderExcluir
  3. ''só escrever sobre suas mágoas
    me faz solitário''

    Da solidão que só quem escreve entende, e entende bem.

    ResponderExcluir