café e dores

café e dores

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

quase não dá tempo de fugir

quero fugir daqui pra algum lugar sem sol
pra te encontrar
porque eu sei que você gosta do frio
e isso é mais um pretexto pra te abraçar
quero te contar dos livros que comprei no sebo de Copacabana
dos riscos que tracei na parede
no corpo
do piercing que botei escondido
dos machucados e resfriados que me deixaram de cama
e da ausência do meu riso

da cor dos olhos dele quando me avista
dos poemas que fez nas minhas costas
e da marca de cigarro que ele gosta
você precisa saber que eu escrevo cartas pra ele
não tão autênticas
mas são cartas
e sei que por serem cartas
isso vai te ferir

eu vou correr daqui
pra te mostrar que eu estou intacta por fora
mas te esperando
e rezando
mesmo sem religião alguma
pra ele me sequestrar
antes que eu fuja pra te encontrar

7 comentários:

  1. GG...
    Se for para encontrar tua felicidade e te entregar a quem amas, isso não é fugir... isso é encontrar-se!!!
    Beijos... teus poemas continuam de uma doçura muito grande!

    ResponderExcluir
  2. Às vezes a gente quer voltar pra um lugar que não nos pertence mais ou nunca nos pertenceu. E às vezes, o lugar é tão nosso, tão parte de nós, que nenhum outro lugar, por mais que nos faça bem e traga paz, deixa que a vida continue de fato, sem desejar voltar até ele...

    Bjoo'o s

    ResponderExcluir
  3. Poesia urbana a sua, característica de um sentimento em meio ao cotidiano. Gostei muito.
    Adorei o blog.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. É tão suspeito tudo que lhe digo, sua poesia combina tanto comigo!


    '''da cor dos olhos dele quando me avista
    dos poemas que fez nas minhas costas
    e da marca de cigarro que ele gosta
    você precisa saber que eu escrevo cartas pra ele
    não tão autênticas
    mas são cartas
    e sei que por serem cartas
    isso vai te ferir'''

    Tudo sempre fere.

    ResponderExcluir
  6. Te imagino criando a poesia na frente de uma fogueira, a musica chega e te leva pra dançar nas palavras, você sente , vibra como cordas de pianos e grita, delicadamente e a gente te ouve, enquanto lê. Tu és imensa, me agrada saber que o mundo cabe em ti, e que te doa sem doer, mais do que tu saiba sentir e compreender.
    Abraço no coração.

    ResponderExcluir
  7. O nosso lugar é onde somos felizes...
    Um poema excelente.
    Beijo.

    ResponderExcluir