café e dores

café e dores

sábado, 8 de novembro de 2014

Três pintas nas solas dos pés

Desenhei-te no céu enquanto a aurora anunciava a primavera, você é a primeira coisa que me vem à cabeça quando saio dos sonhos esquecidos e esse seu rosto tão esdrúxulo de sedoso cai bem revestido pelo céu felpudo. Mesmo com traços tortos você sai bonita em qualquer esboço, e lembro da sua voz, e logo me vem uma vontade desesperada de acordá-la aos beijos ainda virgens.
Você abre os olhos e te queima a luz, te queima o meu amor exacerbado.
Eu reparei nas pintas que estão pintadas por todo seu corpo miúdo, há aquela mais sensual próxima à virilha e as três mais discretas na sola de seus pés número 33. Reparei em sua falta de vontade de sair de casa sem essa jaqueta jeans da Dior com cheiro de fumaça velha, e no seu medo de baratas, até das mais pequeninas do que as suas pintas. Você se esconde debaixo desses cabelos indisciplinados, e quando me encara, torce os lábios naturalmente rubros de forma tola, como se fosse rir da minha paixão ainda verde, te adoro a exatos seis meses. Eu sei dos seus segredos, e tenho pena daqueles que não absorvem um pouco da sua tristeza cotidiana, quando fita o próprio vazio, entendo o quanto é triste, pesada, marcada. E vive, vive por não conseguir morrer, aos vinte anos não sabe o que quer ser, apenas é.  E, moça, mesmo sem querer ser, quero que saiba que você é aquilo que eu gostaria de ter numa tarde ensolarada de primavera.

8 comentários:

  1. Gyzelle Góes... dessa vez, não vou elogiar o texto (sempre ótimo diga-se de passagem!!)....
    Hoje quero elogiar a foto...delícia de pintinhas..... delícia de cintura branquinha, cabelos aloirados... ou seriam ruivos??? Se ruivos... é para entornar o caldo de tão bom.... Queria ser esse homem a que você se doa com tanto amor...
    Eu iria beijar essas pintinhas todas.....

    ResponderExcluir
  2. Um jogo beirando o indecente que transborda poesia, mesmo sendo prosa. Essa história de apenas ser é um retrocesso lindo de se ler.

    More por lá, G. Só não garanto a casa sempre limpa, o resto dá pra resolver fácil. :)

    ResponderExcluir
  3. Adorei essa detalhada geografia, descrita pelo que pulsa além do coração ...
    Saudações.

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo e cheio de carinho e cuidado, a primavera é sempre tão linda, só perde para o outono, que suas primaveras sejam sempre banhadas com muita luz e tardes tranquilas :)

    ResponderExcluir
  5. Que delícia de lirismo, moça. Prosa poética é tudo nessa vida s2 Ficou maravilhosa a junção do texto com a foto.

    ResponderExcluir
  6. Que diferença, Gyzelle, quando entrei aqui me perguntei se estava mesmo no teu blog. Não mudou só o layout, mas também a escrita... preferia você sem pontos finais!!!

    ResponderExcluir
  7. ''como se fosse rir da minha paixão ainda verde...''

    tua criatividade é de outro mundo!

    ResponderExcluir
  8. Tua escrita continua muito linda... É praticamente impossível eu não me identificar.

    ResponderExcluir