domingo, 15 de novembro de 2020

[fragmentos de vôo
/asas] 

eu já nem sei o que será 
agora

(...)

começo a rasgar
pa
péis 

deitada sob 
a folhagem; peito 

poderia ser só impressão 
mas 
sinto 
estamos 
nos despedindo

teu sono lentidão do vento 
me pede para subir 

teu ronco secura 
nós dormimos por muito tempo

agora 
estou A4

sei tremer 
que na verdade
não sei explicar
-me

ouvi teu sorriso
 e o meu sorriso

entro em combustão

lembro da nomenclatura
verde e azul
daquela paz de paisagem amarela

você me segurava 
ou não me esperava?

Nenhum comentário:

Postar um comentário