café e dores

café e dores

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

cores de um cenário natural 
alagam pedaço de retina
pintura de aquarela
que vinha dos olhos daquela 
senhora na praça vendendo todo
tipo de bala
doce minha véia 
é que explosivo a gente foge 
dos olhos do tempo cedido 
ao cansaço dela exposta 
enquanto o quadro
o céu seja qual hora
encara a gente
não tem preço agora enquanto 
as linhas cedem espaço, crianças
correndo de que? na rua 
balas cortam pedaços
as cores
vindo Norte 
sob um céu que esmaga 
os olhos velhos dela 
quando vê 
diz 
Basta ser 

Nenhum comentário:

Postar um comentário