café e dores

café e dores

sábado, 9 de janeiro de 2016

o que você está fazendo?

46

sozinha
assistindo a noite
invadir a casa
o cão sobe no sofá
a goteira do chuveiro parece chuva
vejo a lua tão turva
parece ficção
ou obra de um Deus
que desconheço

troco de canal
a mobília da sala
roupas
e insisto no poema
tão solitário
quanto a lua
eu
e o cão

sozinha
crio diálogos
que viram página de um diário
deixo as obrigações pra amanhã
averíguo a despensa
vazia
morro no sofá
assistindo o dia
e dilemas
invadirem meu poema

4 comentários:

  1. Tu é tão desesperadamente linda em teu poema, que me parece que a vida lida e sentida, sem tua poesia, não tem nada de musical ... e não tem. Tudo em ti vibra e eu gosto de imaginar o dia amanhã um carpe diem que se repete sempre, tanto quanto você viva
    Saudações!

    ResponderExcluir
  2. O que sempre faço,pensar no saber que você existe.

    ResponderExcluir
  3. "e insisto no poema
    tão solitário
    quanto a lua
    eu
    e o cão"

    sempre bom te ler :}

    ResponderExcluir
  4. A exaustão sempre se alia à conformidade. Mas de qualquer modo, aqui sempre encontro bobs poemas.

    ResponderExcluir