café e dores

café e dores

sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

notas sobre contas a pagar

esse medo me persegue
e bate à porta seja qual for a hora
pedindo um sossego ao lado da cama
o medo fisga o pulmão e me tira da rua
revira os olhos como se por indignação
faz calor demais no verão do Rio
superlotado e (vazio)
é quase uma inundação
o pavor do medo
e um anseio inflamado dentro do peito
quase encostando na grade de proteção
não ultrapasse o limite
e as normas de conveniência
juros são mais altos com amor

Um comentário:

  1. Verdade! Isso me faz lembrar que amar e viver e depois morrer - ainda que de amor, custa caro.
    Saudações!

    ResponderExcluir