café e dores

café e dores

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Enlaço

Meu corpo fica inerte em seus braços
Assim retorcido
Embaralhado como se fosse laço
Ou acaso essa rima toda pra você

Quieto exclama por entrelinhas
Colchetes em sua cama
Um gosto de vinho no sangue
O clímax se transformando em tragédia
Ânsia de morrer estirada no arco de seus braços

Pintas no topo do ombro
Pistas expostas pelo corredor
Manchas brotaram
Não pise em meu corpo calçado

Há uma ferida debaixo do osso
Visitas trazem lembranças em sacolas
Meu corpo imobilizado
Quero morrer em seu abraço

2 comentários:

  1. Enquanto te enlaço num abraço, traço desejos de boas festas e que assim seja, enquanto imagino que você me beija e me olha, rindo ...

    ResponderExcluir