café e dores

café e dores

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

sobretudo

eu dançaria em cima de seus pés
mas os meus passos atrasam a hora
vão em caminho difuso
a música não cessa
meu peito se manifesta
mesmo se a festa anular

eu cantaria sobre um passado obscuro
os amantes e sanguessugas
todo absurdo num só parágrafo
mas desconheço sua cor predileta
e o nome da poesia

toda prisão contida em cápsulas
um raio de sol aquecendo seu queixo
acho que perdi os dias
e já estou de férias
a música não cessa
subo em seus pés (mas eu sei dançar)

Um comentário:

  1. Sobretudo eu diria, que você é uma alegria na poesia
    e que a poesia na tua cintura que dança é um mar que só tu alcança, quando tu te põem a dançar ...
    Alegrias.

    ResponderExcluir