café e dores

café e dores

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

rima só

paredes azuis
e teu verniz nos olhos parecendo choro
eu estendia as olheiras ao sol
e tricotava aquele tapete da entrada
as nuvens desenhavam os anúncios
que não saíam nos classificados
você vestia solidão
reverberavam os refrãos em reprise
como se a memória fosse curta
e as saias um empecilho

eu rendava meus lábios em tua nuca
o dia chamuscava dois ovos na frigideira
as paredes sempre muito azuis
e da janela assistia a comunhão de desespero
parecia choro aquele verniz
você vestia solidão tão justo
que meus braços se tornariam prisão

as aves em fuga pro sul
aquele tapete ficaria imundo
eu já previa a tempestade de agora
o azul te enclausurando
um desfecho suave e tempo nublado
você seria uma rima só

paredes
versos livres
e o verniz
nus
só lhe dão mais cor


Um comentário:

  1. Mais que ler, fiz imaginar o lugar e cada coisa e cada gesto, vi um subir pelas vertentes de uma montanha ... bom,tu me faz imaginar coisas.
    uma boa semana.

    ResponderExcluir