café e dores

café e dores

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

2015

Que há de curar ver o ano passar
toda essa tristeza
Que me faz escrever poesia
madrugada


Estou na sala
som de cantores desconhecidos 
Lembrando que falta pouco
2015

Não consigo acompanhar 
Esses pássaros suicidas 
no asfalto
são tão tristes 
e eu 

O que fazer com as cartas 
lotando armário
E os choros embolsados? 
Não tenho travesseiro 
pro tamanho da mágoa 
estocada aqui dentro 

Não tenho sono 
Acho que só sobrou 
essa vontade
antes que amanheça 
E eu me esqueça 
Enquanto sorrio escondida 
atrás da parede da sala

Espere, estou chegando aí
Até quem me vê lendo um jornal
sabe que estou pensando em você aqui
Só não esqueça de me acordar...

4 comentários:

  1. É egoísmo eu dizer que amo a sua tristeza crônica? Creio que sem ela os teus poemas não seriam tão indescritíveis; eles tocam no fundo da minha alma...

    ResponderExcluir
  2. Você é tão precisa ao comunicar essa tristeza, que ao final do poema eu sinto tudo, até minha vida doer.
    Eu vou te abraçar agora, penso que é tudo o que quero fazer antes de beijar teu coração.

    ResponderExcluir
  3. Ai, coisa que bonita!

    Vibração de inspiração nova por aqui também!

    ResponderExcluir