café e dores

café e dores

terça-feira, 27 de março de 2012

encontro na esquina

nasci em meio ao desespero
hoje morro sem saber viver
queria ser oceano
virei lagoa
porção reduzida de água

sorrir se tornou desafio
doloroso e cruel
meus lábios se abrem
como portas automáticas

aprisionada pela solidão
dor que criei
farol distante e vazio
hoje sou nuvem, pedra,
rancor e lágrima que ferve

O que fui?
não sei o que fui, me perdi
em que esquina?
nos abraços da morte

tenho medo
as trevas sempre dizem
pra eu morrer
ainda não morri
te encontro
na esquina que me perdi

Nenhum comentário:

Postar um comentário