café e dores

café e dores

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Corte a próxima cena

Cortei as lágrimas
uma por uma
como se fossem pétalas os cílios,
cortei a pele
e descobri um sangue aguado,
sem cor.

Cortei as esperanças aliadas aos pulsos
Cortei o fio que atava a sanidade
Segue a inspiração em meio à lama vermelha.

Passei batom dor que o sangue desconhecido já não tinha,
Fui mulher por mais um dia
Não me reconheço porém
meu nome não saiu no jornal,
só mais uma erguendo a dor como troféu no final;

O chão sujo de sangue pálido transgressor
O meu drama foi escrito em restrito
Morrerei sem dar avisos

Cena 2 (corta)
09 de junho de 2014


Nenhum comentário:

Postar um comentário