café e dores

café e dores

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

voltas e voltas até onde vamos?

Se fosse só medo de retornar à escrita como o acesso à senha de um cofre inviolado não teria que revisar a memória a fim de encurtar essas voltas que esgotam o repertório que criei

Mas é que dentro do contexto a realidade me parece distante à medida que declino junto às palavras 

Soaria simples percorrer os quilômetros a mais à velocidade desgovernada até um encontro casual de intenções armadas e despejar através do mecanismo oral um pouco mais do me é impossível escrever porém 

É que se fosse só um simples caso até o discurso pareceria direto

Mas é sempre um outro assunto
Uma conversa que agride até quando o ponteiro atinge o ápice e depois disso é aquela história

Corro demais

Um comentário:

  1. "Mas é sempre um outro assunto..."

    Sempre há algo.

    Saudade de ti, das madrugadas que discorremos a fio sobre João e o carteiro.

    Daria um livro, não é mesmo?!

    ResponderExcluir