café e dores

café e dores

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Quero mostrar ao mundo esse vão

tem um resto de cigarro gritando entre os dedos enquanto eu imagino um mundo paralelo me mostrando a santidade de um purgatório gentilmente chamado de planeta terra. o paraíso está entre as minhas pernas que quase não dançam mais porque perderam o ritmo de uma paixão promíscua. que me fizesse conhecer os vícios. que me lambesse o corpo até que eu implorasse por salvação. me ver assim morgada no sofá de três lugares é essa poesia adormecida em meus pés. eu sequei mais do que São Paulo e todo Piauí. eu chorei sem saber o porquê do choro estar tão quente em uma noite quente. não tem como ser fria aqui no Rio, meu bem. não me venha dizer que sou daquelas que se apaixonam porque eu tenho vinte anos e ainda estou esperando para ser fodida com amor. vontade todo mundo tem, meu bem. vontade eu tenho agora de mostrar ao planeta o espaço pequeno entre a minha boceta e a maçaneta.

estou indo embora daqui.

2 comentários:

  1. Penso que você é daquelas, que são mais fortes que o mundo caótico. Tu tens essa energia terrena e eu não sei sobre o que te faz bem, mas eu sei, meu bem, que o vero verso teu, toca minha alma.
    Obrigado e saudações.

    ResponderExcluir
  2. saudades de abrir tua porta, pequena.

    ResponderExcluir