café e dores

café e dores

domingo, 17 de abril de 2016

à prosa

ouvi falar do riso solto mudo
e sobre as rodas de conversa que proseavam
sobre os amores, e olhe só se há amor aqui na mesa
pude ouvir o vento também
correndo chorando de dor de pressa
como se eu existisse à mercê do incompreensível
que bruto brota dentro dessa tripa maior
assim sem palavra bonita pros órgãos espremidos
porque é tudo merda essa vida esse ar
como se fosse preciso
ah, já nem sei dialogar
transcrever um boato forjado
no campo do analítico
já ouvi falar do riso quando no ouvido:

gemido

2 comentários:

  1. "como se eu existisse à mercê do incompreensível"

    Sobrevivemos assim...

    <3

    ResponderExcluir