café e dores

café e dores

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Prêmio dourado

Desfazendo de rancor o ódio escorre
De cegueira vil o homem se caracteriza
Os musgos crescem das folhas incrédulas

Aplauda esse bicho que você criou
Seja devorado por essa unanimidade

Atinge o auge do triunfo
Goza e não está satisfeito
Reclama no espelho por não ser perfeito
Pisa em cima das costas do irmão
Bate no peito da própria carne

Urubu que ganha prêmio da humanidade
Alimenta-se de suor roubado
Rouba sonhos e de insônia
Sofre
Sofre
Sofre
Sorriso e um terno impecavelmente alinhado

Ele está entre a sociedade
Conduz uma dama ao lado
Comprou com cheque dourado

Com amor é mais caro
Ele não pode comprar

Nenhum comentário:

Postar um comentário