café e dores

café e dores

terça-feira, 4 de julho de 2017

Das janelas um dia novo de novo


2 comentários:

  1. Olá GYZELLE,

    sou o seu mais novo seguidor o de número 112.

    Que este dia novo de novo nos traga a paz que sumiu desta maravilhosa cidade de São sebastião na qual eu nasci. Era um dia 18 de setembro e meus pais como todos os pais, achavam que aquilo que estava sendo limpo pela enfermeira era uma gracinha,lindo, o bebê mais fofo da humanidade!
    Naquela época em que nasci Gyzelle não vivia obcecada por opção de gênero e mulher era um gênero definido pela natureza.Os homens sequer tinham isto na cabeça, pois verdadeiros machões e autênticos e ternos búfalos no cio , viam nas meninas sua próximas vitimas e eram os nossos pais ( das meninas e dos meninos ) que ensinavam isto aos filhos e filhas.Isto porque as mães eram submissas financeiramente aos maridos e só se ensina ou que se sabe.Porém,apesar de controversas atuações dos nossos pais a grande verdade é que nos tínhamos PAIS!
    Tínhamos MÃE, tínhamos PAI e acredite TIOS,TIAS, SOBRINHOS,SOBRINHAS, AVÔ E AVÓ.
    O mais inacreditável: As refeições eram feitas em família com a presença de TODOS os seus integrantes!
    O Rio de janeiro era menor,menores também suas mazelas. Íamos a praia e " arrastão" somente os pescadores lá no posto 6 usavam, saiamos dos cinemas à meia-noite e ainda jantávamos no restaurante favorito.As mulheres eram "tecnicamente " virgens e o sexo era consequência de namoros de ,pelo tempo de conhecimento entre os pares, já permitiam algumas perfumarias de prazer.
    E o Rio de Janeiro tinha muitos Flamboyant de cores vivas e maravilhosamente encantadoras.As encostas do Rio de Janeiro eram virgens (também) de favelas e outras aglomerações urbanas.
    Um dia pedi ao meu pai para fazer sexo com uma antiga namorada e ele me repreendeu dizendo que na casa onde morava a minha mãe ele jamais permitiria tal obscenidade.
    Achei que ela era um idiota!
    Enfim Gyzelle, não tenho o direito de alongar-me mais, seria falta de respeito.
    Mas para terminar só queria dizer a você que este "dia novo de novo" seja e traga costumes tão antigos como aqueles que eu lhes narrei pois, creia eramos ABSOLUTAMENTE FELIZES E NÃO SABÍAMOS!
    Que tal visitar os meus blogues?
    Um abração carioca, deste carioca eterno!

    ResponderExcluir