café e dores

café e dores

domingo, 21 de fevereiro de 2016

uma garrafa navegando perdida dentro de mim

retornei aos vícios e quase muda
prescrevo minha sentença
calor do sol no rosto sem proteção
cada paixão em câmera lenta
mas há um espaço que não se ocupa
dentro do peito no meio da rua
tocando a rima com a leveza dos dedos
e compondo uma oração
pois é preciso crer em alguma coisa
seja em alegoria
ou na arte na beleza
pra convocar a salvação
é necessário muita poesia
sol no rosto sem proteção
e os vícios
vícios

absolvição

Nenhum comentário:

Postar um comentário