café e dores

café e dores

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Rapunzel de neve

Anoitece frio de névoa
ela sorri com lábios ressecados,
cada lacuna é o labirinto de sangue
e minha saliva inunda esse mistério

O chá borbulha fazendo som burlesco
Sem açúcar
Ela quer emagrecer 
e deixa a vida mais amarga

Seus cabelos estão pesados de sono
os olhos carregam marcas escuras
como as que leva 
na bagagem

O inverno amanheceu mais cedo
não quer deixá-la sair
Ela faz desse frio uma cruz
pesada e tristonha
Só sonha 

Nenhum comentário:

Postar um comentário