café e dores

café e dores

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Migalha de alma

Esse é nosso fim, meu amado
Vamos desmascarar a descartável felicidade
Que insiste em nos destroçar gentilmente
Vagarosamente 

Você vicia e enche meu copo de agonia
Enlaço a verdade orgânica no pescoço
E vejo seu gozo com exaustão 

Essa é a minha despedida
Saio com a coluna vertebral inflamada
Sua roupa deixei engomada
Levo na bagagem as dores dessa farsa
Junto aos trapos e lâminas que a mim você ofertou 

Esse é o cínico desfecho de um amor

Acaba a valentia de tu, homem!
Sua mulher hoje foi embora
E você,
valente! Chora.

À calmaria da minha paixão
Sem vinganças a ti deixo m'alma
Migalha de alma!
O que sobrou de mim!
Piedade e Arranhão
Esse é o lastimoso fim de uma mulher quando a um homem entrega o coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário