café e dores

café e dores

terça-feira, 8 de março de 2016

verso mínimo

desaprendi a desbotar os danos
riscar a pele em lâmina
escrever cartas compridas
por amores inéditos
não sei cumprir tratados
romper enganos
pois a desordem me conduz
como um guia turístico
assim por ruas distintas
dentro de vagões insalubres
a escrever poemas rudes
breves
algo conciso
falta

mas já não sei se consigo

Um comentário:

  1. Um dos mais lindos poemas teus que já li,o mais imenso tão mais forte que trombetas, berros e gritos.
    Amei! Obrigado.
    Uma boa semana pra ti.

    ResponderExcluir