café e dores

café e dores

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Colorir minha pele em tons do seu sorriso

O vento que uiva rebelde
geme o seu nome
pelas frestas da janela de ladrilhos
para buscar suas
digitais

Entra e arrepia os pelos finos
que nasceram tênues
da perna depilada
e acalanta minha alma
que tem cheiro
de café

As pupilas de esmeralda
reagem tímidas ao sol,
os cílios dançam balé
numa bossa nova
que está velha como seu pijama

Rezo para nosso amor durar
outras primaveras,
que você cure nossa ferida
com essa saliva
de analgésico

Enquanto estica os lábios num sorriso
amanhecido e prematuro,
colore minha vida
antes de a-cor-dar

6 comentários:

  1. Adoro versos sutilmente sensuais! Lindíssimo!
    GK

    ResponderExcluir
  2. "Enquanto estica os lábios num sorriso
    amanhecido e prematuro,
    colore minha vida
    antes de a-cor-dar" Gosto disso! Um sorriso, por mais sutil que seja pode sim fazer toda a diferença...
    Beijo querida e um lindo e colorido final de semana
    Denise - dojeitode.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Um poema muito belo, Gyzelle,e gostei dessa "saliva de analgésico" e do acordar que também é dar cor.
    Excelente!
    xx

    ResponderExcluir
  4. Boa noite Gyzelle muito me encanta a versatilidade dos teus versos.. versos brancos com uma riqueza sem tamanho.. ótima noite até sempre

    ResponderExcluir
  5. Sabe, você tem alma de poeta... Sei que provavelmente já sabe disso, mas achei bom ressaltar já que esta poesia ficou tão bonita!

    Beijos ♥ Jeito Único

    ResponderExcluir
  6. Que maravilha ler esses comentários! Obrigada!

    ResponderExcluir